Os cachorros da raça corgi da rainha Elizabeth II comem lombo de bezerro e peito de frango cozinhados por um chef e servidos por um garçom, revelou um livro sobre os animais de estimação da família real britânica que será lançado ao longo da semana, informou neste domingo o jornal “Sunday Times”.

A obra, “Pets by Royal Appointment”, foi escrito por Brian Hoey, biógrafo da monarquia.

A paixão da rainha pelos corgis é amplamente conhecida, como ficou provado no ano passado na cerimônia de inauguração dos Jogos Olímpicos de Londres, no qual uma gravação exibida no evento mostrou a monarca acompanhada por seus cachorros e o ator Daniel Craig no papel do agente James Bond.

O livro, no entanto, publica detalhes até agora desconhecidos sobre a rotina diária dos corgis no palácio de Buckingham, residência oficial da família real.

Segundo Hoey, após o garçom real entregar os pratos aos cães, os corgis não comem até que a rainha acrescente molho à comida.

“Então ela, e somente ela, dá a ordem para que comecem a comer”, revelou Hoey.

Elizabeth II se preocupa tanto com seus animais de estimação que leva um imã para levantar qualquer agulha que possa cair no palácio quando estão se provando roupas.

O interesse de Elizabeth II pelos corgis começou quando seu pai, o rei Jorge VI, levou alguns para casa nos anos 30, e depois a então princesa ganhou seu corgi, Susan, ao completar 18 anos.

A atual rainha gostava tanto de seu cachorro que o levou para sua lua de mel quando se casou com o duque de Edimburgo, em 1947, acrescentou Hoey.

De acordo com o livro, Elizabeth II não é a única soberana apaixonada por cachorros, já que a rainha Victoria tinha nada menos que 88 cães, que viviam no castelo de Windsor, nos arredores de Londres, e na residência Osborne House, na ilha de Wight, no sul da Inglaterra.