DJ Fabrício D.Vyzor | Brasileiros em Londres

Existem diferentes tipos de DJs, os que manipulam CDs, controladoras, pen drives. O DJ D.Vyzor escolheu manter as raízes da cultura de sua atividade, que nasceu com o disco de vinil. “Eu sou um manipulador de discos”, é assim que o Fabrício começa explicando sua profissão para o eLondres.com. O nome “D.Vyzor” surgiu da palavra “devisor”, que Fabrício encontrou num dicionário de inglês antigo, significando “testador” de alguma coisa, no caso dele, de música e sonoridade. A palavra foi adaptada dando sentido a profissão e nome ao DJ.

Para as pessoas que falam que o vinil está voltando, a pergunta de Fabrício D.Vyzor é: “mas para onde ele foi?”. De acordo com ele, o vinil nunca deixou de existir ou de ser fabricado. Mesmo com o aparecimento dos CDs, conta que sempre esteve em contato com os discos , através de vinil de rádio, discos da família ou de amigos que tinham vitrola em casa.

Com 16 anos, fez seu primeiro trabalho pago como DJ, com um par de toca-discos e um mixer. A vinda para Londres aconteceu através de um amigo DJ que já morava em Londres. A ideia era vir e ficar um ano, que acabaram se transformando em oito. No começo trabalhou na cozinha de um restaurante para juntar uma grana, mas depois resolveu se dedicar exclusivamente à vida de DJ. Hoje, ele é DJ fixo em cinco lugares e tem até um programa de rádio. Explica que é uma rotina “sem rotina”, em que se trabalha em locais variados, conhecendo pessoas diferentes.

Desde que chegou em Londres, já adquiriu quase 3 mil discos de vinil. É apaixonado por música e tem um gosto muito diversificado, que passa pela música brasileira, soul, funk, rap, dub, reggae, drumm & bass e jazz. Este gosto dinâmico e versátil ajuda na hora de fazer a “leitura da pista”, ou seja, identificar quem é o público que tem ali no momento e o que ele gostaria de ouvir do DJ, tentando combinar diferentes estilos. “Isto é dificílimo”, revela D.Vyzor, porque muitas pessoas só querem ouvir as músicas que têm no iPod. Se antigamente os DJs é que eram responsáveis pelo lançamento dos “hits” mais tocados, hoje em dia o processo funciona ao contrário. Muitos DJs só tocam o que passa no rádio.

Se você tem vontade de seguir a carreira de DJ, D.Vyzor deixa algumas dicas: ser apaixonado por música, pesquisar e ouvir diferentes segmentos e estilos, mesmo que não sejam os que você mais gosta.

Quer mais dicas sobre Londres? Baixe agora mesmo gratuitamente o e-book “Como morar em Londres: 6 passos para o sucesso”.