Confira a série de perfis sobre Empresários Brasileiros em Londres. Neste bate-papo, Rosiane Pinheiro , uma guia de turismo brasileira em Londres conversou sobre sua trajetória na terra da rainha.

Professora, intérprete, comissária de bordo, assistente social e, finalmente, guia de turismo brasileira em Londres. A carreira de Rosiane Pinheiro é tão recheada de experiências que daria um livro. Professora infantil, fez faculdade de serviço social, pós-graduação em responsabilidade sócio-ambiental, foi comissária de bordo, se apaixonou pelos intercâmbios, estudou por dois anos em Nova Iorque, morou na Irlanda e vive em Londres desde 2011.

“Quando eu morei em Nova Iorque eu vim para Londres passear, e eu fiquei aqui 15 dias, me apaixonei pela cidade”, conta. “A ideia de começar a trabalhar com turismo em Londres foi uma experiência pessoal”, segundo ela. Após trabalhar por dez anos na área de saúde e fazer alguns programas de intercâmbio, passou a aconselhar amigos em suas viagens à Londres e à Europa durante congressos médicos.

“Informalmente e indiretamente, até pensar na RP Londres, eu já fazia isso por mais de dois anos e meio. De receber as pessoas, de me programar, de ver de acordo com o perfil da pessoas o que que eu tinha de melhor para oferecer em termos de conhecimento para compartilhar com elas”.

Após fazer um curso de intérprete em 2013, ficou sabendo da nova tendência de atendimento personalizado em viagens turísticas. Sua professora, à época, a encorajou para apostar na área. Como já fazia o serviço informalmente, foi preciso “apenas” estruturar a empresa. E aí tudo começou.

– Quando a empresa foi fundada?

A RP Londres oficialmente foi fundada no mês de janeiro de 2016. Mais precisamente no dia 17 de janeiro.

– Qual o objetivo da RP Londres?

O objetivo é oferecer aos nossos clientes um serviço de assessoria turística completo, com o intuito de otimizar o tempo da pessoa que vem para Londres. Mas otimizar em que aspecto? Tudo que eu puder filtrar, tudo que eu puder trazer de informações para essas pessoas para elas não precisarem recorrer a mapa, por exemplo, fazer alguma reserva alguma atração, de algum restaurante…então o objetivo principal é esse: otimizar o tempo. E proporcionar todo o suporte de assessoria com todas as informações pertinentes para facilitar a viagem quando essa pessoa chega aqui.

– Qual o diferencial que você oferece?

Existem inúmeros serviços de acompanhamento personalizado, mas no meu caso especificamente, faço voltado para a preferência do cliente. Baseado nessa preferência, com o meu conhecimento de estar vivendo aqui, de não ter mais esse olhar turístico, eu passo essas sugestões acrescentando à preferência e ao perfil dessa pessoa.

– O que inspira seu dia-a-dia?

Eu tenho como referência a cidade de Londres. Pela diversidade, esse é o primeiro ponto. Ela me inspira pelo fato de estar vivenciando esta atmosfera metropolitana, moderna, e tudo mais, com as pessoas. De repente, se ela vem de uma cidade grande no Brasil ou se vem do interior do Brasil, por exemplo, é uma realidade totalmente diferente. Então a oportunidade de conseguir compartilhar com essas pessoas essa experiência, é o que me inspira.

– Qual a importância da união da comunidade para o bom desenvolvimento das empresas em Londres?

Mesmo em uma empresa convencional que você tem os seus funcionários, para as coisas acontecerem nós somos como uma ignição, vamos dizer assim. Um processo vai dependendo do outro. Por exemplo, eu não consigo realizar o meu trabalho sozinha se eu não tiver uma parceria, por exemplo, com outros especialistas. De repente um fotógrafo, um profissional que faz um transfer, enfim, uma área específica que vai complementando (o trabalho). Então essa união é fundamental. Tem também a questão pessoal, desse contato com os brasileiros, de você não perder essa essência e nós, com experiências diferentes que viemos de partes diferentes do Brasil com objetivos diferentes, como um todo a gente oferece o melhor do nosso trabalho.

(Foto: Fernando Silva & Fabrice Rizzato – reprodução site RP Londres)