Um total de 284.000 cidadãos europeus se instalaram no Reino Unido nos doze meses anteriores ao referendo sobre a União Europeia de junho de 2016, 19.000 a mais que no ano anterior, segundo números oficiais divulgados nesta quinta-feira. Em particular, um alto número dos recém-chegados eram provenientes de Romênia e Bulgária, segundo os dados do Escritório de Estatísticas Nacionais (ONS).

A imigração líquida – chegadas menos saídas – no Reino Unido no ano entre junho de 2015 e junho de 2016 foi de 335.000 pessoas, muito acima do objetivo do governo de mantê-la em torno de 100.000. Concretamente, 650.000 pessoas chegaram legalmente ao país e 315.000 foram embora (incluindo em ambos os casos britânicos, cidadãos da UE e do resto do mundo).

O período coberto pelo relatório da ONS se estende a até poucos dias depois do referendo, razão pela qual “é muito cedo para conhecer o efeito, se houve”, da decisão do povo britânico, afirmou Nicola White, responsável de migração internacional da ONS. Paralelamente, houve um grande aumento dos pedidos de nacionalização apresentados por imigrantes europeus desde que o país decidiu sair da UE no referendo de 23 de junho, de 37.618 em junho de 2015 a 100.000 no início de julho de 2016, informou o The Guardian.

Ao mesmo tempo, as autoridades irlandesas anunciaram no início da semana que houve um aumento de 34% dos pedidos para obter o passaporte irlandês de cidadãos britânicos, muitos dos quais têm ancestrais neste país.

 

As informações são da Agência AFP