A loja Harrods, em Londres, está planejando fechar seu departamento de bebidas finas e substituir o local por um restaurante com 225 assentos. A medida é levada em consideração apenas três anos após a abertura do local. O setor foi aberto em 2013 e conta com vinhos, whiskeys e champanhes, entre outros, cujos preços são um tanto quanto ‘salgados’. Uma garrafa de Louis XIII Cognac Le Jeroboam sai por nada menos que £24.995, enquanto um Louis Roederer Cristal Gold Caged Jeroboam custa £18 mil.

Contudo, os imóveis da área onde está o prédio da Harrods estão com preço em queda, e os consumidores estrangeiros não gastam no local como antigamente, o que tem despertado a ideia pela mudança. Atualmente a Harrods, uma das maiores lojas de departamento de Londres, conta com nove restaurantes e cafés. O novo restaurante teria capacidade para servir 450 pessoas todas as noites nos 650 metros quadrados de espaço.

“A aspiração do restaurante é proporcionar aos clientes da Harrods a oportunidade de experimentar um serviço de jantar alta qualidade fora do horário convencional”, explica Woods Hardwick, arquiteto sobre o projeto. Isso porque o local ficaria aberto até a meia-noite durante seis dias da semana, e até às 23h30 aos domingos.

A Harrods, por sua vez, afirmou que continuaria a oferecer um departamento de vinhos finos, mas em outro local.

noticias-de-londres

Super carros e seus motores potentes incomodam os moradores da região da loja

 

Preocupação dos vizinhos

A proposta pode gerar mais preocupação para os moradores do entorno. Eles se queixam que a Harrods se tornou um local para os donos de super carros mostrarem seus veículos. No ano passado, o council de Kensington & Chelsea estipulou multas de mil libras para qualquer pessoa que ultrapassar “níveis excessivos de poluição sonora” com os motores dos carros.

Os moradores já se mostraram contra a ideia da loja possuir um restaurante com funcionamento até a meia-noite. A alegação é que isso atrairia pessoas de comportamento “incontrolável”. O Council deve decidir sobre o pedido ainda este ano, mas um porta-voz da loja já afirmou que o horário de funcionamento do restaurante poderá ser modificado, já que levam “a opinião dos residentes muito a sério”.