A rainha Elizabeth II do Reino Unido deixará de patrocinar mais de 20 organizações beneficentes no final do ano, antes de completar 91 anos, informou nesta terça-feira o palácio de Buckingham. A soberana britânica, que faz aniversário em 21 de abril, passará o patrocínio de muitas entidades benéficas nacionais a outros membros da família real, acrescentou o palácio.

A rainha, no trono desde 1952, segue assim os passos de seu marido, o duque de Edimburgo, que cortou os laços formais com muitas organizações ao completar 90 anos em 2011. O palácio de Buckingham, residência oficial da família real, especificou que a soberana patrocina mais de 600 organizações, apesar da medida é vista pelos especialistas como passo sensato dada a avançada idade da chefe de Estado.

Entre as entidades que ficarão em mãos de outros membros de sua família figura o All England Lawn Tennis & Críquete Clube, onde cada ano é realizado o torneio de tênis de Wimbledon. “No final dos anos 90 anos da Rainha, Vossa Majestade deixará de patrocinar um número de organizações nacionais. Os patrocinios serão passados a outros membros da Família Real nos próximos meses”, afirmou uma nota do palácio.

“Vossa Majestade é atualmente patrocinadora de mais de 600 organizações e desfrutou de uma associação estreita e ativa com um muitas delas durante seu reinado”, acrescenta. Segundo o palácio, Elizabeth II compartilhará, além disso, o trabalho de apoio à organizações com outros membros de sua família.

“A decisão -lembra a residência real- segue o exemplo do duque de Edimburgo, que renunciou a um número de patrocinios por ocasião de seus 90 anos em 2011”. Apesar de sua avançada idade, a rainha Elizabeth cumpre com muitos de seus compromissos oficiais e inaugura a cada ano a nova legislatura, embora nos últimos anos esteve acompanhada no parlamento por seu filho mais velho e herdeiro ao trono, o príncipe Charles.

Nos últimos anos, o duque de Cambridge, segundo na linha de sucessão, e sua mulher, Kate, começaram a cumprir com compromissos oficiais a fim de ajudar a rainha.

 

As informações são da Agência EFE