Libra em queda e Reino Unido de pé. Essa é a analogia que pode ser feita após declarações da primeira-ministra britânica, Theresa May, na terça-feira, que o Reino Unido não “ficará de joelhos” nas negociações com a União Europeia para o “Brexit“. As declarações ocorreram no mesmo dia em que a libra atingiu seu menor nível em 31 anos.

“Moedas, claro, sobem e descem”, disse ela em entrevista à BBC. De acordo com a primeira-ministra, haverá “percalços no caminho” no processo de separação do bloco europeu. May participou do congresso anual do Partido Conservador em Birmingham, segunda maior cidade da Inglaterra.

As palavras da líder conservadora, que também reiterou que sua prioridade é controlar a imigração, sugerem que ela tende a optar pelo chamado “Brexit” duro, ou seja, por cortar todos os laços com Bruxelas, inclusive abandonando o mercado único, e negociar uma nova relação com os 27 países do bloco.

“Não acredito que o Reino Unido deva, de forma nenhuma, ficar de joelhos para a UE. Trata-se de reciprocidade: um bom acordo comercial vai beneficiar nosso país e a União Europeia”, declarou May. “A vida será diferente no futuro, mas quero garantir que será um sucesso.

A queda da moeda britânica teve origem nas declarações da própria premiê, feitas no último domingo, de que pretende iniciar o processo de saída do bloco europeu até o fim de março do ano que vem. A moeda caiu 0,66% para valer 1,2757 dólares.

Com agências de notícias