O Palácio de Buckingham passará por reformas que podem levar uma década. A residência oficial da família real britânica em Londres receberá obras de reestruturação que deverão ser iniciadas em abril de 2017. O custo estimado é de 369 milhões de libras esterlinas. Apesar das obras, a família real seguirá vivendo e utilizando o palácio.

As reformas incluem mudanças no sistema elétrico, substituição de cabos, tubos e caldeiras, que possuem mais de 60 anos de utilização. De acordo com fontes da imprensa britânica, o objetivo da obra é reduzir as chances e vazamentos no prédio, construído no século 17. A última grande reforma no local aconteceu no ano de 1952.

Tony Johnstone-Burt, porta-voz da Queen’s Household, disse que a escolha das empresas que farão a reforma foi baseada na “melhor relação custo-benefício” e que as contratadas garantiram que manterão o palácio em funcionamento. O mestre da casa da rainha explicou o elevado custo das obras.

“Nós assumimos a responsabilidade de receber esses fundos públicos com extrema seriedade, da mesma forma que estamos convencidos de que, ao fazer este investimento no Palácio de Buckingham, podemos evitar uma falha de construção muito mais onerosa e potencialmente catastrófica nos próximos anos”, afirmou.

A reforma será paga pelo fundo anual da realeza, que deverá receber um aumento. Aprovado já pela primeira-ministra Theresa May e pelo ministro das Finanças Philip Hammond, o reforço do Sovereign Grant tem ainda de ser aprovado pelo Parlamento nos próximos seis meses. Crítico da realeza britânica, John McDonnell, do partido trabalhista, afirmou à BBC que a rainha Elizabeth deveria contribuir para a reforma.

Uma petição online para que a rainha arque com os custos da reforma já foi assinada por mais de 119 mil pessoas até a manhã desta segunda-feira, dia 21 de novembro. Mark Johnson iniciou a petição com o argumento que o país passa por crise imobiliária, na área da saúde e que medidas de austeriadade estão causando cortes diversas áreas de serviços.

O Palácio de Buckingham possui 775 quartos, 78 banheiros, 19 salas de estar, 1.514 portas, 760 janelas, 160km de fios elétricos, 32 km de canos hidráulicos e 2.500 radiadores. O palácio possui o maior jardim privado de Londres, e é aberto ao público durante o verão. As obras garantirão que o palácio siga em funcionamento até 2067.

 

Com agências internacionais