Prefeito de Londres confirma preços congelados do TfL. Na última semana Sadiq Khan confirmou o congelamento das tarifas do TfL (Transport for London) até o final de 2020. De acordo com o prefeito, cerca de quatro milhões de viagens diárias serão impactadas pelo plano. Khan havia prometido congelar os preços em sua plataforma de campanha antes de chegar à prefeitura.

No entanto, as tarifas não serão aumentadas apenas nos serviços “Pay as you go”, uma vez que ele não tem poder sobre os preços aplicados nos Travelcards. O Pay as you go inclui os serviços do DLR, Emirates Airline e serviços de trem onde são aplicados preços do TfL. O serviço de aluguel das bicicletas públicas também serão mantidos para encorajar cada vez mais pessoas a pedalarem na cidade.

“Depois de anos de enormes aumentos das tarifas para os passageiros de Londres, estou muito contente por anunciar formalmente nossos planos de congelar as tarifas do TfL em toda a rede de transportes de Londres. Antes de assumir o cargo eu estava determinado a tomar medidas significativas para tornar os transportes públicos mais acessíveis”, afirmou o prefeito.

No comunicado do site da prefeitura, alguns exemplos foram apresentados. O preço para uma viagem entre Morden e London Bridge (zona 1 a 4), que subiu de £3.60 em 2012 para £3.90 em 2016 permanecerá com a mesma taxa até 2020. O mesmo acontece para uma viagem para uma viagem entre a zona 1, que foi de £2.00 em 2012 para £2.40 em 2016 e permanecerá intocada até 2020.

O passe semanal de ônibus e tram que custava £18.80 em 2012, seguirá fixado em £21.20 como em 2016. Os Travelcards, por outro lado, deverão ter reajustes em 2017. O bilhete semanal entre as zonas 1 e 3 deve subir de £38 para £38.70 a partir do dia dois de janeiro. Já o bilhete entre as zonas 1 a 6 deve subir de £59.10 para £60.20.

“Agora estou exigindo que o governo siga minha liderança e congele as tarifas nas rotas de trem suburbanos de Londres, onde os passageiros são atingidos por atrasos, cancelamentos e superlotação inaceitáveis. Simplesmente não é justo que os passageiros de trem de Londres enfrentem outros aumentos tarifários causados pelo governo no próximo ano – o ônus do governo é garantir que todos os passageiros de Londres recebam o congelamento de tarifas que eles merecem”, finalizou Kahn.