O que ver em Londres: não perca as joias da Coroa Britânica

Que tal fazer um passeio em Londres para revisitar a história da monarquia britânica? Se você gostou da ideia, precisa conhecer a Torre de Londres quando vier passear na cidade. Localizada às margens do rio Tâmisa, a imponente torre construída na década de 1080 já serviu para espantar invasores e também já foi residência da monarquia. Além da grande construção e dos principais armamentos da época, você conhecerá também as valiosas joias da Coroa Britânica.

Mesmo que não seja daquelas pessoas que adoram uma joia, você vai se impressionar com a exposição. Cada peça fez parte de um momento marcante da história da Inglaterra e vale a pena prestar atenção às explicações e viajar no tempo. E é sobre essas joias que vamos falar neste post.

As joias da Coroa Britânica

Coroas com pedras preciosas, cetros, broches brilhantes, espadas e anéis estão entre as valiosas joias da Coroa Britânica expostas na Torre de Londres.

Antes, a coleção ficava na Abadia de Westminster, onde as coroações dos monarcas costumavam acontecer. Mas, no início do século XIV, as joias foram para a Torre de Londres, considerado um local mais seguro para guardar tanta preciosidade. A segurança é tanta que é proibido fotografar as peças em exposição. Na visita, você vai ver o tanto de guardas e soldados que rodeiam o local.

Confira algumas das principais joias da exposição.

Coroa de Santo Eduardo

Símbolos da monarquia, as coroas são as atrações principais da Torre de Londres. Dentre elas, se destaca a coroa de Santo Eduardo, que foi utilizada pela última vez em junho de 1953, durante a cerimônia de coroação de Elizabeth II.

A coroa pesa 2,23 kg e, exatamente por isso, é utilizada apenas durante a coroação. Afinal de contas, a rainha Elizabeth II não daria conta de sair por aí carregando esse peso todo na cabeça, não é mesmo?

Tanto peso se explica pela quantidade de pedras preciosas que decoram a coroa. Safiras, topázios, ametistas, turmalina e citrinos enfeitam a vistosa coroa. Imagine o que é ver tanta pedra assim de pertinho?

Coroa imperial

Outra coroa que também atrai muitos olhares ao seu redor é a coroa imperial. Ela foi criada especialmente para a coroação do rei George VI, pai da rainha Elizabeth, em 1937.

As peças utilizadas para a confecção dessa coroa foram retiradas da antiga coroa imperial, que fez parte de diferentes momentos da monarquia britânica. Hoje, ela é utilizada pela rainha Elizabeth II em cada abertura do Parlamento britânico. É muita história para uma coroa só!

A coroa imperial é decorada com mais de três mil pedras preciosas, como diamante, safira e rubi. O rubi, aliás, merece uma atenção especial por causa de sua dramática história. A pedra roxa fica bem no centro da coroa e pertenceu a um rei de Granada, assassinado pelo rei de Castela, conhecido como Pedro, o Cruel.

O rei Pedro deu o rubi de presente ao Príncipe Negro pela ajuda durante as batalhas. O filho do príncipe acabou herdando a joia. E não é que ele também foi assassinado? Quando visitar essa exposição, lembre dessa história ao apreciar a coroa imperial.

Cetro do soberano

Além das coroas, o cetro também é outro objeto sempre presente nas coroações britânicas. O cetro do soberano, que pode ser visto na exposição da Torre de Londres junto à coroa de Santo Eduardo, também possui pedras preciosas em sua ornamentação.

Imagine ver de perto o diamante considerado mais perfeito do mundo? Pois ele está lá, imponente, ornamentando o cetro do soberano. Pesa 530 quilates. Se formos fazer o cálculo, isso daria cerca de 100g, mas para um diamante é peso demais.

Quando foi encontrado, na África do Sul, o diamante tinha 3.106 quilates e foi dividido em 96 pequenos brilhantes. O maior desses pedaços é o que enfeita o cetro, mas há outros pedaços espalhados pelas diferentes joias da coroa. Esse diamante é tão famoso que tem até nome próprio e apelido. Ele é conhecido como Cullinan, a Estrela da África.

Colher da coroação

A colher da coroação carrega o título de objeto mais antigo da exposição na Torre de Londres. Ela é datada do século XII, enquanto as outras peças são do ano de 1661 para a frente. Isso se deve ao fato de o ano de 1661 ser marcado pela restituição da monarquia após a Guerra Civil. A maior parte dos objetos anteriores a esse período desapareceu ou foi destruída.

Além das espadas, a colher da coroação foi a única peça que sobreviveu aos ataques destrutivos comandados por Oliver Cromwell, após a execução do rei Carlos I, em 1649. A ideia de Cromwell era apagar os vestígios da monarquia britânica, tendo ordenado que fossem retiradas as pedras preciosas para serem derretidas.

A colher era utilizada para ungir com óleo a testa dos monarcas ingleses.

Mais atrações na visita à Torre de Londres

A Torre de Londres, apesar do nome, é muito mais uma fortaleza do que uma torre única. Por isso, o que não faltam são atrações por lá. E atrações que vão além das joias da Coroa Britânica. Não é à toa que o indicado é fazer um tour completo pela torre quando vier a Londres.

No passeio, você passará pela coleção de armaduras, pela Torre Sangrenta e pelo Portão dos Traidores, para onde eram levados os traidores da corte britânica. A Torre de Londres é tão cheia de histórias que ouve-se falar que o fantasma de Ana Bolena vaga pela região. A lenda refere-se ao fato de Ana ter sido decapitada na torre. A decapitação ocorreu porque o rei Henrique VIII rompeu com a Igreja Católica para se casar com ela.

Não se assuste se encontrar muitos corvos por lá. E, ao contrário do que muitos pensam, eles não são mau sinal. Reza a lenda que o rei Carlos II ficou sabendo que, se os corvos fossem embora da Torre de Londres, a monarquia chegaria ao fim na Inglaterra.

Dicas para a visita

Antes da visita, é bom checar os horários de funcionamento para não ficar frustrado. E os horários variam:

  • 1.º de novembro a 28 de fevereiro (inverno): terça a sábado de 9h às 16h30;  domingo e segunda, de 10h às 16h30.
  • 1.º de março a 31 de outubro (verão): terça a sábado de 9h às 17h30; domingo e segunda de 10h às 17h30.

Os ingressos para adultos custam £25 e para crianças £12. Se você comprar on-line, no site da Torre de Londres, os ingressos podem sair um pouquinho mais barato.

O jeito mais fácil de se locomover aqui em Londres é de metrô, e na visita à torre não é diferente. Ela fica ao lado da estação Tower Hill, com acesso pelas linhas District e Circle.

Quando vier a Londres, você não vai querer perder esse passeio, não é mesmo? Quer saber mais sobre outras atrações de Londres? Clique aqui.

 

Você tem acesso a mais notícias sobre Londres e Reino Unido clicando aqui.