É absolutamente normal a preocupação com o desenrolar das decisões políticas que serão tomadas na Europa durante a próxima semana. Na próxima quinta-feira, 23 de junho de 2016, o Reino Unido vai decidir se vai ou não continuar fazendo parte da UE (União Europeia). Saiba um pouco mais os efeitos a curto, médio e longo prazo que uma decisão dessa proporção pode trazer aos ingleses.

POSSÍVEIS EFEITOS ECONÔMICOS

O assunto é sério e envolve a vida de milhões de ingleses, que estão um tanto angustiados para saber o fim dessa história. A possibilidade de ‘deserção’ do Reino Unido (maneira como políticos conservadores estão encarando a ação) poderá acarretar ao país anos de incerteza e oscilações econômicas. Como resultado, a desconfiança generalizada nos interesses financeiros da nação e o aumento do desemprego poderiam gerar grande ansiedade.
A possibilidade de saída do bloco da UE poderia trazer cerca de 10 anos de incerteza, porque a nação teria então de renegociar acordos com a UE e mais 50 outros países ao redor do mundo.

‘NUVENS ESCURAS’ NO HORIZONTE

Para piorar as coisas, a economia do Reino Unido poderia ser empurrada para uma grande recessão, caso se confirme sua saída da UE. Pelo menos 500.000 empregos podem ser perdidos e o PIB (Produto Interno Bruto) poderia ter uma queda de cerca de 3,6%.

Cerca de 650.000 postos de trabalho em Londres estão ligados à exportações para outros países da UE.

Pesquisas recentes mostram que poderá haver demissões em massa para conter uma crise e uma acentuada desvalorização imobiliária. Existem milhares de pequenas e médias empresas em Londres que contam, acima de tudo, com os cidadãos europeus como clientes. Assim, caso o Reino Unido decida abrir mão de fazer parte da UE, o número de cidadãos europeus dispostos a vir para o Reino Unido será menor, e isso pode resultar em cortes nos quadros de funcionários dessas empresas. Junte a isso a preocupação com relação às taxas maiores de importação e exportação. Uma potência mundial econômica pode acabar ficando ‘ilhada’ frente a seus atuais ‘companheiros’ da UE. ‘Nuvens escuras’ como essas geram ainda mais ansiedade ao passo que a data da votação se aproxima.

TURISMO ‘MORNO’

O Reino Unido é também reconhecido em toda a Europa por ser um país que sempre apoia outros países europeus, e é parte do que se pode chamar de ‘família europeia’. Deixando esta família ‘de lado’, a nação poderia deixar de ser prioridade no destino de férias de turistas animados. Nesse caso, sua principal ‘casa’ de turistas, Londres, pode sofrer em sentido econômico pela mornidão turística.

EXPECTATIVAS

Londres é conhecida por ser um lugar de oportunidade para novas ideias de negócios. O motivo é muito simples.
Em Londres, existem mais de 300 grupos étnicos e mais de 250 línguas diferentes são faladas; o que significa que, se você quiser tentar uma ideia de negócios, Londres é o melhor lugar para isso. É uma cidade bem conhecida por ter ótimos profissionais e pessoas de negócios do mundo todo e, portanto, uma enorme ‘rede financeira’ mundial. Se o Reino Unido decidir deixar a UE, o número de pessoas dispostas a participar nesta ‘rede’ vai diminuir. Isso, indiretamente, poderá afetar pequenas e medias empresas.

As informações foram úteis? Quer saber mais sobre Londres? Baixe gratuitamente o e-book “Como morar em Londres: 6 passos para o sucesso“.