O Reino Unido abriu mão de fazer parte da presidência rotativa da União Europeia (UE) entre os meses de Julho e Dezembro de 2017. A própria primeira-ministra britânica, Theresa May, transmitiu essa informação ao presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, segundo a Agência de Notícias France-Presse (AFP).

 

‘O Reino Unido está muito ocupado’

May conversou por telefone com Tusk na terça-feira e lhe disse, segundo um porta-voz citado pela AFP, que o Reino Unido “estará muito ocupado com as negociações para a saída do país da UE”, não podendo por isso exercer a presidência. Segundo a AFP, o Ministério dos Negócios Estrangeiros da Bélgica afirmou que está disponível para “tomar a presidência, se isso for solicitado.”

 

Reino Unido

“Brexit é Brexit, e nós vamos fazer dele um sucesso”, disse a primeira-ministra Theresa May, de 59 anos

 

Na mesma ligação telefônica, Theresa May avisou Tusk que a Grã-Bretanha precisa estar preparada para que o Brexit ocorra de maneira calma. Só assim, o artigo 50 do Tratado de Lisboa será ativado adequadamente, e a saída do bloco ocorrerá suavemente.  Segundo um porta-voz da Agência de Notícias Reuters, ‘Tusk assegurou à May que ele vai ajudar para que o processo do Brexit transcorra do modo mais suave possível.’

No último dia 23 de junho, a confirmação do Brexit consolidou a ruptura entre o Reino Unido e a União Europeia, composta atualmente de 28 países. Essa decisão da comunidade britânica trouxe a renúncia do primeiro-ministro David Cameron.

A nova premier, Theresa May, assumiu o cargo há uma semana. Em diversas ocasiões durante o período para conquistar a liderança do Partido Conservador, ela defendeu a decisão do plebiscito. “Brexit é Brexit, e nós vamos fazer dele um sucesso”, disse a primeira-ministra, de 59 anos.

 

As informações foram úteis? Quer saber mais sobre Londres? Baixe gratuitamente o e-book “Como morar em Londres: 6 passos para o sucesso“.